Meus amigos ღ .•*´❀❧

24/11/2011

Abençoados os que possuem amigos


Abençoados os que possuem amigos, os que os têm sem pedir.
Porque amigo não se pede, não se compra, nem se vende.
Amigo a gente sente!

Benditos os que sofrem por amigos, os que falam com o olhar.
Porque amigo não se cala, não questiona, nem se rende.
Amigo a gente entende!

Benditos os que guardam amigos, os que entregam o ombro pra chorar.
Porque amigo sofre e chora.
Amigo não tem hora pra consolar!

Benditos sejam os amigos que acreditam na tua verdade ou te apontam a realidade.
Porque amigo é a direção.
Amigo é a base quando falta o chão!

Benditos sejam todos os amigos de raízes, verdadeiros.
Porque amigos são herdeiros da real sagacidade.
Ter amigos é a melhor cumplicidade!

Isabel Machado

Semeadura



Quem planta árvores, 
Colhe alimento. 
Quem semeia flores, 
Colhe perfume. 
Quem semeia o trigo, 
Colhe o pão. 
Quem planta amor, 
Colhe amizade. 
Quem semeia alegria, 
Colhe felicidade. 
Quem planta a vida, 
Colhe milagres. 
Quem semeia a verdade, 
Colhe confiança. 
Quem planta fé, 
Colhe a certeza, 
Quem semeia carinho, 
Colhe gratidão. 
No entanto, há quem prefira, 
Semear tristeza e colher desconsolo, 
Plantar discórdia e colher solidão, 
Semear vento e colher tempestade, 
Plantar ira e colher desafeto.
Semear descaso e colher um adeus. 
Plantar injustiça e colher abandono. 
Somos semeadores conscientes, 
Espalhamos diariamente 
Milhões de sementes 
Ao nosso redor.

Você pode ter defeitos



Você pode ter defeitos, viver ansioso e ficar irritado algumas vezes. 
Mas não se esqueça de que sua vida é a maior empresa do mundo. 
E só você pode evitar que ela vá à falência. 
Há muitas pessoas que precisam, admiram e torcem por você. 
É importante que você sempre se lembre de ser feliz 
e de que ser feliz não é ter um céu sem tempestades, 
caminhos sem acidentes, trabalho sem cansaço, 
relacionamentos sem decepções. 

Ser feliz é encontrar força no perdão, 
esperança nas batalhas, 
segurança no palco do medo e amor nos desencontros.

Ser feliz não é apenas valorizar o sorriso,
Mas refletir sobre a tristeza.

Não é apenas comemorar o sucesso,
Mas sim aprender lições nos fracassos.

Não é apenas ter júbilos nos aplausos,
Mas encontrar alegria no anonimato.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver,
Apesar de todos os desafios, incompreensões e períodos de crise.

Ser feliz não é uma fatalidade do destino,
Mas uma conquista de quem sabe viajar para dentro do seu próprio ser.

Ser feliz é deixar de ser a vítima dos problemas
E se tornar autor da sua própria história.

É atravessar desertos fora de si,
Mas ser capaz de encontrar um Oásis no recanto de sua alma

É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.

Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um não.
E segurança para receber uma crítica, mesmo que injusta.

É beijar os filhos, curtir os pais,
Ter momentos poéticos com os amigos,
Mesmo que eles nos magoem

Ser feliz é deixar viver a criança
Livre, alegre, simples,
Aquela, que mora dentro de você

É ter maturidade para falar "eu errei"
É ter ousadia para dizer "me perdoe"
É ter sensibilidade para confessar "eu preciso de você"

Ser feliz é ter a capacidade de dizer "eu te amo"

Eu desejo que a vida seja um canteiro de oportunidades para você. Que nas suas primaveras você seja amante da alegria. Que nos seus invernos, seja amigo da sabedoria. E quando você errar o caminho, comece tudo de novo. Tenha sempre coragem, pois assim você será cada vez mais apaixonado pela vida, e descobrirá que ser feliz não é ter uma vida perfeita, mas é saber usar as lágrimas para irrigar a tolerância. Aproveitar as perdas para refinar a paciência, as falhas para esculpir a serenidade. É usar a dor para lapidar o prazer e os obstáculos para abrir as janelas da inteligência na vida.

Jamais desista das pessoas que você ama. Jamais desista de ser feliz. Por que você, ah, não tenha dúvida, você é especial E pessoas especiais sabem dividir o seu tempo com os outros. São honestas nas atitudes, sinceras, compreensivas, e também sabem que o amor é parte de tudo e deve ser verdadeiramente compartilhado. Pessoas especiais não tem medo de ser vulneráveis, acreditam que são únicas e que gostam de ser quem verdadeiramente são. Pessoas especiais tem coragem de se doar aos outros, sem nem um interesse oculto. Pessoas especiais importam-se com a felicidade dos outros e os ajudam a conquistá-la. Pessoas especiais são aquelas que realmente tornam a vida mais bela e mais feliz.

Eu acredito muito em você. Você é especial, e por isso que eu te desejo, nesse momento, a partir de agora e para todo o sempre: Seja feliz, e saiba encontrar a felicidade em cada pequeno detalhe da vida, especialmente dentro de você.

Fernando Pessoa

Há momentos


Há momentos na vida em que sentimos tanto a falta de alguém
que o que mais queremos é tirar esta pessoa de nossos
sonhos e abraçá-la.
Sonhe com aquilo que você quiser.
Seja o que você quer ser, porque você possui apenas uma vida
e nela só temos uma chance de fazer aquilo que queremos.
Tenha felicidade bastante para fazê-la doce.
Dificuldades para fazê-la forte. Tristeza para fazê-la humana.
E esperança suficiente para fazê-la feliz.
As pessoas mais felizes não têm as melhores coisas.
Elas sabem fazer o melhor das oportunidades que aparecem
em seus caminhos. A felicidade aparece para aqueles que choram.
Para aqueles que se machucam.
Para aqueles que buscam e tentam sempre.
E para aqueles que reconhecem a importância das pessoas que passam por suas vidas. O futuro mais brilhante é baseado num passado
intensamente vivido.
Você só terá sucesso na vida quando perdoar os erros e
as decepções do passado.
A vida é curta, mas as emoções que podemos deixar duram
uma eternidade.

Clarice Lispector

Desejo primeiro que você ame



Desejo primeiro, que você ame, e que amando, também seja amado. E que se não for, seja breve em esquecer e esquecendo não guarde magoa. Desejo pois, que não seja assim, mas se for, saiba ser sem desesperar.

Desejo também que tenha amigos, que mesmo maus e inconseqüentes, sejam corajosos e fiéis, e que em pelo menos num deles você possa confiar sem duvidar. E porque a vida é assim, desejo ainda que você tenha inimigos; nem muitos, nem poucos, mas na medida exata para que, algumas vezes, você se interpele a respeito de suas próprias certezas. E que entre eles, haja pelo menos um que seja justo, para que você não se sinta demasiadamente seguro.

Desejo depois que você seja útil, mas não insubstituível. E que nos maus momentos, quando não restar mais nada, essa utilidade seja suficiente para manter você de pé.

Desejo ainda que você seja tolerante; não com os que erram pouco, porque isso é fácil, mas com os que erram muito e irremediavelmente, e que fazendo bom uso dessa tolerância, você sirva de exemplo aos outros.

Desejo que você sendo jovem não amadureça depressa demais, e que sendo maduro, não insista em rejuvenescer e que sendo velho não se dedique ao desespero. Porque cada idade tem o seu prazer e a sua dor e é preciso deixar que eles escorram por entre nós.

Desejo por sinal que você seja triste; não o ano todo, mas apenas um dia. Mas que nesse dia descubra que o riso diário é bom; o riso habitual é insosso e o riso constante é insano.

Desejo que você descubra, com o máximo de urgência, acima e a despeito de tudo, que existem oprimidos, injustificados e infelizes, e que estão à sua volta.

Desejo ainda que você afague um gato, alimente um cuco e ouça o João-de-barro erguer triunfante o seu canto matinal; porque assim, você se sentirá bem por nada, se é que se pode dizer que isso é nada.

Desejo também que você plante uma semente, por mais minúscula que seja, e acompanhe o seu crescimento, para que você saiba de quantas muitas vidas é feita uma árvore.

Desejo outrossim, que você tenha dinheiro, porque é preciso ser prático. E que pelo menos uma vez por ano coloque um pouco dele na sua frente e diga "Isso é meu", só para que fique bem claro quem é o dono de quem.

Desejo também que nenhum dos seus afetos morra, por ele e por você, mas que se morrer, você possa chorar sem se lamentar e sofrer sem se culpar.

Desejo por fim que você sendo um homem, tenha uma boa mulher, e que sendo uma mulher, tenha um bom homem e que se amem hoje, amanhã e no dia seguinte, e quando estiverem exaustos e sorridentes, ainda haja amor para recomeçar.
E se tudo isso acontecer, eu não tenho nada mais a te desejar!

Sergio Jockymann

23/11/2011

Prossiga sempre!


Por mais que lhe falem da tristeza . . .
Prossiga sorrindo !
Por mais que lhe demonstrem rancor . . .
Prossiga perdoando !
Por mais que lhe tragam decepções . . .
Prossiga confiando !
Por mais que lhe ameacem de fracasso . . .
Prossiga apostando na vitória !
Por mais que lhe apontem erros . . .
Prossiga com os seus acertos !
Por mais que discursem sobre a ingratidão . . .
Prossiga ajudando !
Por mais que noticiem a miséria . . .
Prossiga crendo na prosperidade !
Por mais que lhe mostrem destruições . . .
Prossiga na construção !
Por mais que acenem doenças . . .
Prossiga vibrando saúde !
Por mais que exibam ignorância . . .
Prossiga exercitando sua inteligência !
Por mais que o assustem com a velhice . . .
Prossiga sentindo-se jovem !
Por mais que plantem o mal . . .
Prossiga semeando o bem !
Por mais que contem mentiras . . .
Prossiga na verdade !

22/11/2011

Quem tem amigos


Quem tem amigos nunca fica desabrigado.
Abraço de amigo é casinha em dia de chuva.
Tem abraço que é feito de palha e
 faz um barulhinho tão bom quando o vento bate...
E tem aquele abraço feito de tijolo e concreto 
que te envolve firme e nunca deixa a tempestade te levar.
Bom mesmo é saber que quando nosso teto desaba 
a gente pode morar nos braços de amigos... 
abraços abrigos.

À procura do autor

21/11/2011

Aprendizado



Por Ana Jácomo

Meu coração é totalmente desarmado. 

Se eu amo, amo mesmo. Se eu confio, confio mesmo. Mas, o tempo, o aprendizado que vem com as circunstâncias, têm me ensinado que inocência é coisa pra andar bem juntinha da sabedoria. 

Meu coração é desarmado, mas grande parte dos outros não é.

16/11/2011

Simplesmente ser


Por Ana Jácomo

Eu tenho cada vez mais menos respostas, mas também tenho cada vez mais menos perguntas. Disso eu não duvido: tenho cada vez mais menos certezas. Quanto mais o tempo passa, eu fico menos à vontade para alimentar dores e com muito mais preguiça de sofrer. Quanto mais o tempo passa, menos faço por onde adiantar a morte, mais tento fazer por onde aproximar a vida. 

Coisas que já me importaram à beça já não me importam nem um pouco, enquanto aquilo que essencialmente sempre teve importância me importa, agora, com mais nitidez. Como deve acontecer com outros tantos aprendizes da coragem, às vezes, cansadíssima das lições e do método pedagógico, eu recordo que a covardia, pelo menos na aparência, é bem mais fácil, bem menos trabalhosa, e, claro, bem mais egoísta, eu já estive lá com muito mais frequência. Mas aí, justo neste ponto, costuma acontecer algo bem bonito: também recordo de cada flor que veio à tona só porque tive coragem de cuidar da semente. Só porque não me acovardei, mesmo que tantas vezes com todo medo do mundo.


Para o ano novo, se eu conseguir ser nova, quero o sabor de saber, na prática, que somos feitos para a felicidade. Para a troca. Para a paz. Para a bondade. Para facilitarmos a existência uns dos outros. Para a coragem e a alegria de simplesmente ser.


Tô ocupada


 Não tenho tempo para odiar quem me odeia, não tenho tempo para brigar com quem não me entende, não tenho tempo para me preocupar com quem não se importa comigo.
Sabe por que? Porque eu estou ocupada amando quem me ama, falando com quem me entende e lutando por aqueles que se importam comigo."

À procura do autor


15/11/2011

Xícaras


Um grupo de ex-alunos, todos muito bem estabelecidos profissionalmente, se reuniu para visitar um antigo professor da universidade. Em pouco tempo, a conversa girava em torno de queixas de estresse no trabalho e na vida como um todo.

Ao oferecer café aos seus convidados, o professor foi à cozinha e retornou com um grande bule e uma variedade de xícaras - de porcelana, plástico, vidro, cristal; algumas simples, outras caras, outras requintadas; dizendo a todos para se servirem.

Quando todos os estudantes estavam de xícaras em punho, o professor disse: se vocês repararem, pegaram todas as xícaras bonitas e caras, e deixaram as simples e baratas para trás. Uma vez que não é nada anormal que vocês queiram o melhor para si, isto é a fonte dos seus problemas e estresse. Vocês podem ter certeza de que a xícara em si não adiciona qualidade nenhuma ao café. Na maioria das vezes, são apenas mais caras e, algumas vezes, até ocultam o que estamos bebendo.

O que todos vocês realmente queriam era o café, não as xícaras, mas escolheram, conscientemente, as melhores xícaras... e então ficaram todos de olho nas xícaras uns dos outros.

Agora pensem nisso: a vida é o café, e os empregos, dinheiro e posição social são as xícaras. Elas são apenas ferramentas para sustentar e conter a vida... e o tipo de xícara que temos não define, nem altera, a qualidade de vida que vivemos... a nossa felicidade!

Às vezes, ao nos concentrarmos apenas na xícara, deixamos de saborear o café que Deus nos deu. Deus côa o café, não as xícaras...

Saboreie o seu café!


(À procura do autor)

Cuidado com o que fala



Certa vez, um homem tanto falou que seu vizinho era ladrão, que o

vizinho acabou sendo preso. Algum tempo depois, descobriram que este

homem era inocente. O rapaz foi solto, após muito sofrimento e

humilhação, e processou o vizinho. No tribunal, o vizinho acusador

disse ao Juiz:

- Comentários não causam tanto mal... E o Juiz

respondeu:

- Escreva os comentários que você fez sobre ele num papel,

depois pique o papel e jogue os pedaços pelo caminho de volta a sua

casa. Amanhã, volte para ouvir a sentença!

O homem obedeceu e voltou no dia seguinte, quando o Juiz disse:

- Antes da sentença, você terá que catar os pedaços de papel que espalhou ontem!

- Meritíssimo, mas eu não posso fazer isso! - respondeu o homem. O vento deve tê-los espalhados por tudo quanto é lugar e já não sei onde devem estar! Ao que o Juiz respondeu:

- Da mesma maneira, um "simples" comentário que

pode destruir a honra de um homem, espalha-se a ponto de não podermos

mais consertar o mal causado. Se não se pode falar bem de uma pessoa,

é melhor que não se diga nada! Sejamos Senhores de nossa língua, para não sermos Escravos de nossas palavras.


(Estamos à procura do autor)


14/11/2011

Iluminado


Muitos lhe desejarão um bom dia!
Outros, mais próximos, vão lhe abraçar e desejar sorte.
Mas, eu quero desejar-lhe um dia especial,
por isso, desejo-lhe que o seu dia seja ILUMINADO.
E banhado pela luz, você possa dizer sim;
para as possibilidades de mudança que te cercam,
para a visão do novo que aparece,
para a certeza do bem que não se esquece,
que você esteja Iluminado pela certeza de dias melhores,
que começa agora com a sua nova motivação.
Não é tempo de pensar no que deu errado,
nem é tempo de se ligar nas pessoas erradas.
É tempo de iluminar o seu rosto,
de deixar o brilho desta manhã te convidar para a vida.
Vida que passa muito rápido na porta de cada um,
lembrando que o grande barato está dentro de nós,
na certeza de que podemos ser felizes,
com o pouco ou o muito que temos.
Basta ser Iluminado pela certeza,
não acreditar em mesquinharias,
não dar bola para quem não quer te ver bem,
se afastar de quem te faz mal,
acreditar que o bem é a maioria,
e finalmente, ter em mente o seguinte:
- Tudo passa, tudo passará,
- Tudo se renova, tudo se renovará.
Eterno mesmo, é você,
é você, com todos os seus problemas,
com qualidades e defeitos,
que é a pessoa mais importante para o seu dia.
E eu desejo, que ele seja ILUMINADO,
banhado pela alegria e pela doçura,
da força que vem do alto e dessa Luz,
que é a companhia querida, do Mestre Jesus.
Que o seu dia seja ILUMINADO!

Por Paulo Roberto Gaefke

O jovem e o sábio


Certa vez um jovem foi a um homem sábio, pedir conselhos. O homem sábio disse que só queria saber uma coisa.

Ele propôs uma situação imaginária. Ele disse - “Imagine que você nunca seria pego e ninguém seria machucado. Ninguém perderia nada. Se estas circunstâncias fossem garantidas, você mentiria por $10,000 dólares?”

O jovem pensou um pouco e respondeu. “Sim, por $10,000 e ninguém saberia e ninguém seria machucado. Eu mentiria.” O sábio balançou a cabeça e disse. “Tenho outra pergunta. Você mentiria por dez centavos?”

Furioso, o jovem indagou “Que tipo de pessoa você acha que eu sou?”

O sábio respondeu. “Eu já sei que tipo de pessoa você é. Estou apenas tentando estabelecer seu preço.”




** À procura do autor.

12/11/2011

O doce sabor de uma mulher


Uma mulher deslumbrante
não é aquela que mais
homens tem a seus pés.

Mas sim aquela que tem
apenas um que a faça
realmente feliz.

Uma mulher formosa não
é a mais jovem.
Nem a mais frágil, nem aquela
que tem a pele mais sedosa ou
o cabelo mais chamativo.

É aquela que com apenas
um sorriso franco e aberto
e um bom conselho pode
alegrar-te a vida.

Uma mulher de valor não,
é aquela que tem mais
títulos ou cargos academicos,

E sim aquela que sacrifica
seus sonhos temporariamente
para fazer felizes os demais.

Uma mulher deslumbrante não
é aquela mais ardente e sim a
que vibra ao fazer amor somente
com o homem que ama.

Uma mulher deslumbrante não
é aquela que se sente adulada
e admirada por sua beleza e
elegância,

E sim aquela mulher firme
de caráter.
Que pode dizer "Não".

E um Homem...

Um homem deslumbrante
é aquele que valoriza uma
mulher assim...

Que se sente orgulhoso de
tê-la como companheira...

Que sabe acaricia-la como
um músico virtuoso toca
seu amado instrumento...

Que luta a seu lado compartilhando
todas as suas tarefas, desde lavar
pratos e preparar a mesa, até
devolver as massagens e o carinho
que ela te proporcionou antes.

A verdade, companheiros homens
é que as mulheres com mania de
serem "mandonas" não levam
vantagens...

Que tolos temos sido e somos
quando valorizamos um presente
somente pela vistosidade do pacote...

Tolo e mil vezes tolo o homem que
come sobras na rua, tendo um
deslumbrante manjar em casa!

Esse texto é para as mulheres
deslumbrantes para reforçar
sua auto estima e para os homens
para que meditem sobre isto.


Gabriel Garcia Márquez

Asas de Deus


Depois de um incêndio florestal no Parque Nacional de Yellowstone, guardas florestais começaram a sua caminhada até uma montanha para avaliar os danos do inferno e Um ranger encontrou um pássaro literalmente petrificado em cinzas,empoleirado na base de uma árvore. Um pouco enojado com a visão misteriosa, ele derrubou o pássaro com uma vara.. Quando ele bateu nela delicadamente, três filhotes minúsculos correram sob as asas de sua mãe morta. A mãe amorosa,em plena consciência do desastre iminente, tinha levado seus filhos para a base da árvore e reuniu-os debaixo das asas, instintivamente sabendo que a fumaça tóxica subiria. Ela poderia ter voado para a segurança, mas se recusou a abandonar seus bebês. Em seguida, o incêndio chegou e o calor tinha queimado seu corpo pequeno, a mãe havia permanecido firme ... porque ela tinha se disposto a morrer, assim que aqueles sob a cobertura de suas asas viveriam.



"Ele te cobrirá com as suas penas, e debaixo das suas asas você encontrará refúgio". (Salmo 91:4)

11/11/2011

A mulher que sabe amar


A mulher que sabe amar é mestra do homem. Jamais governanta.
A mulher que sabe amar não irrompe nem interrompe. Chega suave.
A mulher que sabe amar conhece a sua superioridade e os limites desta.
A mulher que sabe amar sabe ser mãe e ser um furor na cama.
A mulher que sabe amar jamais se deixa subjugar. Nem subjuga.
A mulher que sabe amar sabe que não basta ter razão. Precisa saber ter razão.
A mulher que sabe amar é o ser mais elevado que há na terra.
A mulher que sabe amar cala quando sabe não ser compreendida e fala na hora certa.
A mulher que sabe amar jamais diz: eu não falei que não ia dar certo.
A mulher que sabe amar compreende os filhos e sem pretender ensina amor ao marido.
A mulher que sabe amar por ser superior não se preocupa em mandar.
A mulher que sabe amar não sabe obedecer cegamente: ou compartilha ou se separa.
A mulher que sabe amar sabe tanto de moda quanto de arte.
A mulher que sabe amar educa sem reprimir e orienta sem impor.
A mulher que sabe amar fala baixo, não usa perfumes exagerados e ama a alma.
A mulher que sabe amar conversa com Deus e partilha com a família,
A mulher que sabe amar sente sua máxima realização quando amamenta.
A mulher que sabe amar tem orgasmo, é abençoada pela bondade.
A mulher que sabe amar não faz alarde de sua superioridade sobre o homem.
A mulher que sabe amar é a responsável pela sobrevivência da espécie humana.
A mulher que sabe amar jamais ouvirá de seu marido a frase:
Eu não tenho opiniões: tenho esposa....

Artur da Távola

O amor é único


Aos que não casaram,
aos que vão casar,
aos que acabaram de casar,
aos que pensam em se separar,
aos que acabaram de se separar.
aos que pensam em voltar...

Não existem vários tipos de amor, assim como não existem três tipos de saudades, quatro de ódio, seis espécies de inveja. O AMOR É ÚNICO, como qualquer sentimento, seja ele destinado a familiares, ao cônjuge ou a Deus.

A diferença é que, como entre marido e mulher não há laços de sangue, a SEDUÇÃO tem que ser ininterrupta...

Por não haver nenhuma garantia de durabilidade, qualquer alteração no tom de voz nos fragiliza, e de cobrança em cobrança, acabamos por sepultar uma relação que poderia SER ETERNA.

Casaram. Te amo pra lá, te amo pra cá. Lindo, mas insustentável. O sucesso de um casamento exige mais do que declarações românticas.

Entre duas pessoas que resolvem dividir o mesmo teto, tem que haver muito mais do que amor, e às vezes, nem necessita de um amor tão intenso. É preciso que haja, antes de mais nada, RESPEITO.

Agressões zero.

Disposição para ouvir argumentos alheios.

Alguma paciência...

Amor só, não basta. Não pode haver competição. Nem comparações. Tem que ter jogo de cintura, para acatar regras que não foram previamente combinadas. Tem que haver BOM HUMOR para enfrentar imprevistos, acessos de carência, infantilidades.

Tem que saber levar.

Amar só é pouco.

Tem que haver inteligência. Um cérebro programado para enfrentar tensões pré-menstruais, rejeições, demissões inesperadas, contas para pagar. Tem que ter disciplina para educar filhos, dar exemplo, não gritar. Tem que ter um bom psiquiatra.

Não adianta, apenas, amar.

Entre casais que se unem, visando à longevidade do matrimônio, tem que haver um pouco de silêncio, amigos de infância, vida própria, um tempo pra cada um.

Tem que haver confiança. Certa camaradagem, às vezes fingir que não viu, fazer de conta que não escutou. É preciso entender que união não significa, necessariamente, fusão.

E que amar "solamente", não basta.

Entre homens e mulheres que acham que O AMOR É SÓ POESIA, tem que haver discernimento, pé no chão, racionalidade. Tem que saber que o amor pode ser bom, pode durar para sempre, mas que sozinho não dá conta do recado.

O amor é grande, mas não são dois.

Tem que saber se aquele amor faz bem ou não, se não fizer bem, não é amor. É preciso convocar uma turma de sentimentos para amparar esse amor que carrega o ônus da onipotência. O amor até pode nos bastar, mas ele próprio não se basta.

Um bom Amor aos que já têm!
Um bom encontro aos que procuram!
E felicidades a todos nós!

Artur da Távola

Baleia ou sereia


Ontem vi um outdoor da Runner, com a foto de uma moça de biquíni e a frase:

"Neste verão, qual você quer ser? Sereia ou Baleia?"
Respondo:
Baleias sempre estão cercadas de amigos.
Baleias têm vida sexual ativa, engravidam e
têm filhotinhos fofos.
Baleias amamentam. Baleias nadam por aí, singrando os mares e conhecendo lugares legais como as banquisas de gelo da Antártida e os recifes de coral da Polinésia.
Baleias têm amigos golfinhos.
Baleias comem camarão à beça.
Baleias esguicham água e brincam muito. Baleias cantam muito bem e têm até CDs gravados.
Baleias são enormes e quase não têm predadores naturais. Baleias são lindas e amadas.
Sereias não existem.
Se existissem viveriam em crise existencial:
"Sou um peixe ou um ser humano?"
Runner, querida, prefiro ser baleia !
(Gabi)

Extraído do blog "Casa da Gabi", que agora está no endereço: http://casadagabi.tabulas.com

Deus costuma


Deus costuma usar a solidão
Para nos ensinar sobre a convivência.
Às vezes, usa a raiva para que possamos
Compreender o infinito valor da paz.
Outras vezes usa o tédio, quando quer
nos mostrar a importância da aventura e do abandono.
Deus costuma usar o silêncio para nos ensinar
sobre a responsabilidade do que dizemos.
Às vezes usa o cansaço, para que possamos
Compreender o valor do despertar.
Outras vezes usa a doença, quando quer
Nos mostrar a importância da saúde.
Deus costuma usar o fogo,
para nos ensinar a andar sobre a água.
Às vezes, usa a terra, para que possamos
Compreender o valor do ar.
Outras vezes usa a morte, quando quer
Nos mostrar a importância da vida.

Fernando Pessoa

10/11/2011

A arte de calar



“Tudo tem o seu tempo determinado, e há tempo para todo o propósito debaixo do céu. Tempo de estar calado, e tempo de falar.” Eclesiates 3: 1 e 7b

Calar sobre sua própria pessoa, É HUMILDADE.

Calar sobre os defeitos dos outros, É CARIDADE.

Calar quando a gente está sofrendo, É HEROISMO.

Calar diante do sofrimento alheiro, É COVARDIA.

Calar diante da injustiça, É FRAQUEZA.

Calar quando o outro está falando, É DELICADEZA.

Calar quando o outro espera uma palavra, É OMISSÃO.

Calar e não falar palavras inúteis, É PENITÊNCIA.

Calar quando não há necessidade de falar, É PRUDÊNCIA.

Calar quando "DEUS" nos fala no coração, É SILÊNCIO.

Calar diante do mistério que não entendemos, É SABEDORIA.

"O SILÊNCIO É UM MOMENTO VIVIFICANTE DE GRAÇA, EM QUE A CRIATURA SE CALA, MAS O ESPÍRITO FALA."

Certezas





Por Mário Quintana

Não quero alguém que morra de amor por mim... Só preciso de alguém que viva por mim, que queira estar junto de mim, me abraçando.

Não exijo que esse alguém me ame como eu o amo, quero apenas que me ame, não me importando com que intensidade.

Não tenho a pretensão de que todas as pessoas que gosto, gostem de mim..Nem que eu faça a falta que elas me fazem, o importante pra mim é saber que eu, em algum momento, fui insubstituível... E que esse momento será inesquecível...Só quero que meu sentimento seja valorizado.
Quero sempre poder ter um sorriso estampando em meu rosto, mesmo quando a situação não for muito alegre... E que esse meu sorriso consiga transmitir paz para os que estiverem ao meu redor.
Quero poder fechar meus olhos e imaginar alguém...E poder ter a absoluta certeza de que esse alguém também pensa em mim quando fecha os olhos, que faço falta quando não estou por perto.
Queria ter a certeza de que apesar de minhas renúncias e loucuras, alguém me valoriza pelo que sou, não pelo que tenho...
Que me veja como um ser humano completo, que abusa demais dos bons
sentimentos que a vida lhe proporciona, que dê valor ao que realmente
importa, que é meu sentimento... E não brinque com ele.
Não quero brigar com o mundo, mas se um dia isso acontecer, quero ter forças suficientes para mostrar a ele que o amor existe...
Que ele é superior ao ódio e ao rancor, e que não existe vitória sem
humildade e paz.
Quero poder acreditar que mesmo se hoje eu fracassar, amanhã será outro dia, e se eu não desistir dos meus sonhos e Propósitos, talvez obterei êxito e serei plenamente feliz.
Que eu nunca deixe minha esperança ser abalada por palavras pessimistas...
Que a esperança nunca me pareça um "não" que a gente teima em maquiá-lo de verde e entendê-lo como "sim".
Quero poder ter a liberdade de dizer o que sinto a uma pessoa, de poder
dizer a alguém o quanto ele é especial e importante pra mim, sem ter de me preocupar com terceiros... Sem correr o risco de ferir uma ou mais pessoas com esse sentimento.
Quero, um dia, poder dizer às pessoas que nada foi em vão...
Que o amor existe, que vale a pena se doar às amizades e às pessoas, que a vida é bela sim, e que eu sempre dei o melhor de mim. E que valeu a pena!!!
Espero que você, meu querido amigo, conheça o verdadeiro significado de ser feliz, pois quem não compreende um olhar tão pouco compreenderá uma longa explicação...

04/11/2011

O Problema


Num mosteiro havia um grande mestre e um guardião.
O guardião morreu e foi preciso substituí-lo. O grande mestre então reuniu todos os seus discípulos para fazer a nova indicação: assumiria o posto o monge que conseguisse resolver primeiro o problema a ser apresentado naquele momento.Então, o grande mestre colocou um banquinho no centro da sala e, em cima dele, um vaso de porcelana raríssimo com uma belíssima rosa amarela a enfeitá-lo. E disse apenas:

- Aqui está o problema!

Todos ficaram olhando a cena. O vaso lindíssimo de valor inestimável com sua flor maravilhosa no centro. Qual seria o enigma?Nesse momento, um de seus discípulos sacou sua espada, olhou o mestre, seus companheiros, dirigiu-se ao centro da sala e "zapt", destruiu tudo com um só golpe.

Tão logo o discípulo retornou ao seu lugar, o grande mestre falou-lhe:

- Você é o novo guardião, pois não importa se o problema for algo lindíssimo ou valioso, se for um problema precisa ser eliminado.

(Lenda árabe)

03/11/2011

Posso ter defeitos


Posso ter defeitos, viver ansioso
e ficar irritado algumas vezes,
mas não esqueço de que minha vida
é a maior empresa do mundo,
e posso evitar que ela vá à falência.

Ser feliz é reconhecer que vale a pena viver
apesar de todos os desafios,
incompreensões e períodos de crise.
Ser feliz é deixar de ser vítima dos problemas
e se tornar um autor da própria história.
É atravessar desertos fora de si,
mas ser capaz de encontrar um oásis
no recôndito da sua alma.

É agradecer a Deus a cada manhã pelo milagre da vida.
Ser feliz é não ter medo dos próprios sentimentos.
É saber falar de si mesmo.
É ter coragem para ouvir um "não".
É ter segurança para receber uma crítica,
mesmo que injusta.

Pedras no caminho?
Guardo todas, um dia vou construir um castelo...

Fernando Pessoa

Vida moderna


Um homem de negócios americano, no ancoradouro de uma aldeia da costa mexicana, observava um pequeno barco de pesca que atracava nesse momento trazendo um único pescador. No barco vários grandes atuns.

O americano deu parabéns ao pescador pela qualidade dos peixes e perguntou-lhe quanto tempo levara para pescá-los.

- Pouco tempo – respondeu o mexicano.

Em seguida, o americano perguntou por que ele não permanecia no mar mais tempo, o que lhe teria permitido uma pesca mais abundante.

O mexicano respondeu que tinha o bastante para atender as necessidades imediatas de sua família.

O americano voltou à carga:

- Mas o que é que você faz com o resto de seu tempo?

O mexicano respondeu:

- Durmo até tarde, pesco um pouco, brinco com meus filhos, tiro a siesta com minha mulher, Maria, vou todas as noites à aldeia, bebo um pouco de vinho, toco violão com meus amigos. Levo uma vida cheia e ocupada, señor.

O americano assumiu um ar de pouco caso e disse:

- Eu sou formado em administração em Harvard e poderia ajudá-lo. Você deveria passar mais tempo pescando e, com o lucro, comprar um barco maior. Com a renda produzida pelo novo barco, poderia comprar vários outros. No fim, teria uma frota de barcos pesqueiros. Em vez de vender pescado a um intermediário, venderia imediatamente a uma indústria processadora e, no fim, poderia ter sua própria indústria. Poderia controlar o produto, o processamento e a distribuição. Precisaria deixar esta pequena aldeia costeira de pescadores e mudar-se para a Cidade do México, em seguida para Los Angeles e, finalmente, para Nova York, de onde dirigiria sua empresa em expansão.

- Mas, señor, quanto tempo isso levaria? – pergunto o pescador.

- Quinze ou vinte anos – respondeu o americano.

- E depois, señor?

O americano riu e disse que essa seria a melhor parte:

- Quando chegar a ocasião certa, você poderá abrir o capital de sua empresa ao público e ficar muito rico. Ganharia milhões.

- Milhões, señor? E depois?

- Depois – explicou o americano – você se aposentaria. Mudava para uma pequena aldeia costeira, onde dormiria até tarde, pescaria um pouco, brincaria com os netos, tiraria a siesta com a esposa, iria à aldeia todas as noites, onde poderia beber vinho e tocar violão com amigos....

À procura do autor

Ser transparente


Às vezes, nos perguntamos por que é tão difícil ser transparente.

Costumamos acreditar que ser transparente é simplesmente ser sincero e não enganar os outros. No entanto, é muito mais do que isso.

É ter coragem de se expor, de ser frágil, de chorar, de falar do que sentimos. É desnudar a alma, deixar cair as máscaras e baixar as armas.

É destruir os imensos e grossos muros que insistimos tanto em levantar e permitir que toda a nossa doçura aflore, desabroche e transborde.

Infelizmente, quase sempre, a maioria de nós decide não correr esse risco. Preferimos a dureza da razão à leveza que exporia toda a fragilidade humana.

Preferimos o nó na garganta às lágrimas que brotam da profundeza do nosso ser.

Preferimos nos perder na busca insensata por respostas imediatas a simplesmente nos entregar diante de Deus e admitir que não sabemos todas as respostas, que somos frágeis, que temos medo.

Por mais doloroso que seja construir uma máscara que nos distancia cada vez mais do que realmente somos e de Deus, preferimos manter uma imagem que nos dê a sensação de proteção.

E vamo-nos afogando mais e mais em atitudes, palavras e sentimentos que não condizem com o nosso verdadeiro eu.

Não porque sejamos pessoas falsas, mas porque nos perdemos de nós mesmos e já não sabemos onde está nossa brandura, nosso amor mais intenso.

Com o passar dos anos, um vazio escuro nos faz perceber que já não sabemos oferecer e nem pedir aos que nos cercam o que de mais precioso temos a compartilhar: a doçura, a compaixão e a compreensão.

Muitas vezes sofremos e nos sentimos sós, imensamente tristes e choramos sozinhos, num silêncio que nos remete à saudade de nós mesmos.

Saudade daquilo que pulsa e grita dentro de nós e que não temos coragem de mostrar àqueles que nos querem bem e que nos amam.

Aprendemos que nos mostrar com transparência é sinal de fraqueza, é ser menos do que o outro. Na verdade, se agíssemos deixando que a nossa razão ouvisse o nosso coração, poderíamos evitar muita dor.

* * *

Quando formos surpreendidos pelo sofrimento de qualquer natureza, lembremos primeiramente de Deus, Pai amoroso, que nunca desampara um filho Seu. Fortaleçamo-nos na prece e na fé que conforta e acalma.

Ao partilhar as dores com os nossos afetos, tenhamos a certeza que elas serão abrandadas, pois dividir as angústias, medos e aflições, as torna menores.

Quando partilharmos as alegrias, estaremos fazendo felizes também aqueles a quem estimamos, pois a alegria dos amigos é nossa também.

Expor a nossa fragilidade aos amigos e amores jamais será sinal de fraqueza.

Procuremos, pois, de forma equilibrada, não prender tanto o choro, não conter a demonstração da alegria, não esconder tanto o nosso medo e nossas aflições. Enfim, abandonemos essa idéia de desejarmos parecer tão invencíveis.

01/11/2011

Saudade é não saber



Saudade é não saber. Não saber o que fazer
com os dias que ficaram mais compridos,
não saber como encontrar tarefas que lhe
cessem o pensamento, não saber como frear
as lágrimas diante de uma música, não saber
como vencer a dor de um silêncio que nada
preenche.

Martha Medeiros

Fermento da vida


A alegria é o verdadeiro fermento da alma,
é o renovar de esperanças em cada novo dia,
é o preparo ideal para as tormentas,
o suporte para os problemas que virão,
armadura definitiva contra o desamor,
incentivo natural para os que querem desistir,
a alegria é uma oração viva de agradecimento.

A alegria é o ingrediente que falta,
é o que dá liga no grande bolo da vida.
Não se perca em busca de cargos e posições,
nem se deixe levar pelo brilho fácil da "pirita":
tem brilho de ouro, cor de ouro, mas não é ouro.
O verdadeiro tesouro é o contentamento, é a alegria.

Por isso, alegre-se!
Há tanto para comemorar, há vida para se viver,
um dia para se vencer, uma noite para amar.
É um novo tempo, tempo de recomeçar sonhos,
de levar adiante os velhos projetos,
de perceber que a alegria está aí dentro,
no seu interior, está disponível para ser usada.

Não deixe que roubem a sua alegria,
distribua sorrisos, gentilezas, certezas,
que a sua palavra seja doce, seus gestos suaves,
e a vida vai sorrir para você.

Esta é a lei do retorno: basta você sorrir,
e o outro já começa a rir.
A alegria é contagiante, e quanto mais se espalha,
maior é a presença do Sagrado em nós.
A alegria é divina.

Paulo Roberto Gaefke

Escrever

Beijos na alma



Você sabe o que é um Beijo na alma? Não? Eu vou lhe explicar:
Um beijo na alma não é como um beijo no rosto, na boca ou em qualquer outra parte do corpo.
O beijo na alma é aquele que entra na mente através de palavras impulsionadas pelo sentimento AMOR...Chega até o coração onde fica gravado com ponta de diamante.
É um beijo simples e singelo que às vezes passa despercebido, mas, quando encontra um coração quebrantado, ele se torna, como um manancial no deserto.
É um beijo puro, genuíno, sem malícia, agradável, afável, amigo, aconchegante, que nos traz paz.
É como se o dedo de DEUS
estivesse tocando o seu coração...

À procura do autor

27/10/2011

Com o coração


Por Ana Jácomo

Hoje eu não quero conversas vestidas de uniforme. Diálogos impecavelmente arrumados que não deixam o coração à mostra. As palavras podem sair de casa sem maquiagem. Podem surgir com os cabelos desalinhados, livres de roupas que as apertem, como se tivessem acabado de acordar. Dispensa-se tons acadêmicos, defesas de tese, regras para impressionar o interlocutor. O único requinte deve ser o sentimento. É desnecessário tentar entender qualquer coisa. Tentar solucionar qualquer problema. Buscar salvamento para o quer que seja.

Hoje eu não quero falar sobre o quanto o mundo está doente. Sobre como está difícil a gente viver. Sobre as milhares de coisas que causam câncer. Sobre as previsões de catástrofes que vão dizimar a humanidade. Sobre o quanto o ser humano pode ser também perverso, corrupto, tirano e outras feiúras. Sobre os detalhes das ações violentas noticiadas nos jornais. Não quero o blablablá encharcado de negatividade que grande parte das vezes não faz outra coisa além de nos encher de mais medo. Não quero falar sobre a hipocrisia que prevalece, sob vários disfarces, em tantos lugares. Hoje, não. Hoje, não dá. Não me interessam o disse-que-disse, os julgamentos, a investigação psicológica da vida alheia, os achismos sobre as motivações que fazem as pessoas agirem assim ou assado, o dedo na ferida.

Hoje eu não quero aquelas conversas contraídas pelo receio de não se ter assunto. A aflição de não se saber o que fazer se ele, de repente, acabar. O esforço de se falar qualquer coisa para que a nossa quietude não seja interpretada como indiferença. Hoje eu não quero aquelas conversas que muitas vezes acontecem somente para preenchermos o tempo. Para tentarmos calar a boca do silêncio. Para fugirmos da ameaça de entrar em contato com um monte de coisas que o nosso coração tem pra dizer. Além do necessário, hoje não quero falar só por falar nem ouvir só por ouvir. Que a fala e a escuta possam ser um encontro. Um passeio que se faz junto. Um tempo em que uma vida se mostra para a outra, com total relaxamento, sem se preocupar se aquilo que é mostrado agrada ou não. Se aumenta ou diminui os índices de audiência.

Hoje, se quiser, se puder, se souber, me fala de você. Da essência vestida com essa roupa de gente com a qual você se apresenta. Fala dos seus amores, tanto faz se estão perto do seu corpo ou somente do seu coração. Fala sobre as coisas que costumam fazer você sintonizar a frequência do seu riso mais gostoso. Fala sobre os sonhos que mantêm o frescor, por mais antigos que sejam. Fala a partir daquilo em você que não desaprendeu o caminho das delícias. Do pedaço de doçura que não foi maculado. Da porção amorosa que saiu ilesa à própria indelicadeza e à alheia. A partir daquilo em você que continuou a acreditar na ternura, a se encantar e a se desprevenir, apesar de tantos apesares. Conta sobre as receitas que lhe dão água na boca. Sobre o que gosta de fazer para se divertir. Conta se você reza antes de adormecer.

Hoje, me fala de você. Dos momentos em que a vida lhe doeu tanto que você achou que não iria aguentar. Fala das músicas que compõem a sua trilha sonora. Dos poemas que você poderia ter escrito, de tanto que traduzem a sua alma. Senta perto de mim e mesmo que estejamos rodeados por buzinas, gente apressada, perigos iminentes, faz de conta que a gente está conversando no quintal de casa, descascando uma laranja, os pés descalços, sem nenhum compromisso chato à nossa espera. A gente já brincou tanto de faz-de-conta quando era criança, onde foi que a gente esqueceu como se chega a esse lugar de inocência? Fala da lua que você admirou outra noite dessas, no céu. Da borboleta que lhe chamou à atenção por tanta beleza, abraçada a alguma flor, como se existisse apenas aquele abraço. Diz se quando você acorda ainda ouve passarinhos, mesmo que não possa identificar de onde vem o canto. Diz se a sua mãe cantava para fazer você dormir.

Senta perto e me conta o que você sentiu quando viu o mar pela primeira vez e o que sente quando olha pra ele, tantas vezes depois. Se tinha jardim na casa da sua infância, me diz que flores riam por lá. Conta há quanto tempo não vê uma joaninha. Se tinha algum apelido na escola. Se consegue se imaginar bem velhinho. Fala da sua família, a de origem ou a que formou. Das pessoas que não têm o seu sobrenome, mas são familiares pra sua alma. Fala de quem passou pela sua vida e nem sabe o quanto foi importante. Daqueles que sabem e você nem consegue dizer o tamanho que têm de verdade. Fala daquele animal de estimação que deitava junto aos seus pés, solidário, quando você estava triste. Diz o que vai ser bacana encontrar quando, bem lá na frente, olhar para o caminho que fez no mundo, em retrospectiva.

Podemos falar abobrinhas, desde que sejam temperadas com riso, esse tempero que faz tanto bem. A gente pode rir dos tombos que você levou na rua e daqueles que levou na vida, dos quais a gente somente consegue rir muito depois, quando consegue. A gente pode rir das suas maluquices românticas. Das maiores encrencas que já arrumou. Das ciladas que armaram para você e, antes de entender que eram ciladas, chegou até a agradecer por elas. De quando descobriu como são feitos os bebês. A gente pode rir dos cárceres onde se prendeu e levou um tempo imenso pra descobrir que as chaves estavam com você o tempo todo. Das vezes em que se sentiu completamente nu diante de um Maracanã, tamanha vergonha, como se todos os olhos do mundo estivessem voltados na sua direção. Das mentiras que contou e acreditaram com facilidade. Das verdades que disse e ninguém levou a sério.

Não precisa ter pauta, seguir roteiro, deixa a conversa acontecer de improviso, uma lembrança puxando a outra pela mão, mas conta de você e deixa eu lhe contar de mim. Dessas coisas. De outras parecidas. Ouve também com os olhos. Escuta o que eu digo quando nem digo nada: a boca é o que menos fala no corpo. Não antecipe as minhas palavras. Não se impaciente com o meu tempo de dizer. Não me pergunte coisas que vão fazer a minha razão se arrumar toda para responder. Uma conversa sem vaidade, ninguém quer saber qual história é a mais feliz ou a mais desditosa.

Hoje eu quero conversar com um amigo pra falar também sobre as coisas bacanas da vida. As miudezas dela. A grandeza dela. A roda-gigante que ela é, mesmo quando a gente vive como se estivesse convencido de que ela é trem-fantasma o tempo inteiro. Um amigo pra falar de coisas sensíveis. Do quanto o ser humano pode ser também bondoso, honesto, afetuoso, divertido e outras belezas. Dos lugares onde nossos olhos já pousaram e daqueles onde pousam agora. Um amigo para conversar horas adentro, com leveza, de coisas muito simples, como a gente já fez mais amiúde e parece ter desaprendido como faz. Um amigo para se conversar com o coração.

E se não quisermos, não pudermos, não soubermos, com palavras, nos dizer um pouco um para o outro, senta ao meu lado assim mesmo. Deixa os nossos olhos se encontrarem vez ou outra até nascer aquele sorriso bom que acontece quando a vida da gente se sente olhada com amor. Senta apenas ao meu lado e deixa o meu silêncio conversar com o seu. Às vezes, a gente nem precisa mesmo de palavras.

Fonte:http://anajacomo.blogspot.com/

Dois dias

Há dois dias em todas as semanas com os quais não deveríamos nos preocupar, dois dias que deveriam ser mantidos livres do medo e da apreensão.

Um destes dias é o ONTEM, com seus erros e ansiedades, suas falhas e bobagens, dores e sofrimentos.

O ONTEM passou para sempre, está além do seu controle.

Todo o dinheiro do mundo não pode trazer de volta o ONTEM. Não podemos desfazer um único ato que fizemos, não podemos apagar uma única palavra que dissemos.

O ONTEM se foi...
Outro dia com a o qual não deveríamos nos preocupar é o AMANHÃ, com suas possíveis adversidades, suas cargas, suas grandes promessas e pobre desempenho.

AMANHÃ está além do nosso controle imediato, o sol do AMANHÃ irá se levantar ou em esplendor ou por detrás de uma máscara de nuvens, mas se levantará, e até que ele o faça, não temos nenhuma garantia do AMANHÃ, pois ele, ainda não nasceu.

Isso deixa apenas um dia, o HOJE.

Qualquer homem pode lutar as batalhas de apenas um dia!

É só quando adicionamos as cargas daquelas duas assombrosas eternidades: o ONTEM e o AMANHÃ, que sucumbimos.

Não é a experiência do HOJE que enlouquece alguém, é o remorso ou a amargura por algo que aconteceu ONTEM e o receio do que o AMANHÃ poderá trazer...

Portanto vivamos não mais que um dia por vez!

Somente por HOJE serei feliz!

Somente por HOJE serei agradável!

Somente por HOJE falarei baixo, agirei polidamente!

Não criticarei ninguém, não acharei erros em nada e nem tentarei melhorar alguém antes de melhorar a mim mesmo!

Somente por hoje terei um momento em silêncio, sozinho, relaxarei e conversarei com AQUELE que está a brilhar lá em cima...

ONTEM é história, o AMANHÃ é um mistério,

Mas o HOJE é uma dádiva, por isso é chamado...

PRESENTE...

À procura do autor

Prece



Por Ana Jácomo
Que Deus ouça as preces que lhe dirijo quando estou mansidão e ternura. Quando estou contemplação e respeito. Quando as palavras fluem, sem esforço algum, sem ensaio algum, articuladas e belas, do lugar em mim onde eu e ele nos encontramos e brincamos de roda. Quando nelas incluo as pessoas que têm nome e aquelas que desconheço existirem. E os meus amores. E os meus desafetos. E os bichos. E as plantas. E os mares. E as estrelas. E

Que Deus ouça as preces que lhe dirijo quando o medo me acompanha sem que a coragem se ausente. Quando as coisas seguem o seu rumo sem que eu me preocupe em demasia com o destino desse movimento. Quando eu me sinto conectada com o amor e reverente à vida. Quando as lágrimas nascem apenas de um alegre e comovido sentimento de gratidão. Quando caminho com a rara confiança que só as crianças que ainda não doem costumam experimentar, já que, infelizmente, algumas começam a doer muito cedo.

Que Deus ouça as preces que lhe dirijo quando sou capaz de pressentir o sol mesmo atravessando uma longa noite escura. Quando posso cruzar desertos com a clara convicção de que a vida não é feita somente deles. Quando consigo olhar para todas as experiências, sem que aquelas que me desconcertam me impeçam de valorizar as que me encantam. Quando as tristezas que repentinamente me encontram não atrapalham a certeza da sua impermanência.

Que Deus ouça as preces que lhe dirijo quando amanheço revigorada e anoiteço tranqüila. Quando consigo manter uma relação mais gentil com as lembranças difíceis que, às vezes, ainda me assombram. Quando posso desfrutar do contentamento mesmo sabendo que existem problemas que aguardam eu me entender com eles. Quando não peço nada além de força para prosseguir, por acreditar que, fortalecida, eu posso o que quiser, em Deus.

Mas eu desejo, profundamente, que Deus também ouça as preces que lhe dirijo quando eu não consigo elaborar prece alguma. Quando a dor é tão grande que minha fala não passa de um emaranhado de palavras confusas e desconexas que desenham um troço que nem eu entendo. Quando o medo me paralisa e perturba de tal forma que eu me encolho diante da vida feito um bicho acuado. Quando me enredo nas minhas emoções com tanta confusão que parece que aquele tempo não vai mais passar.

Que Deus ouça também as preces que lhe dirijo quando só consigo chorar e, mesmo depois de já ter chorado muito, tenho a sensação de ainda não ter chorado tudo. Quando me sinto exaurida e me entrego a esse cansaço completamente esquecida dos meus recursos. Há momentos em que a gente parece ignorar tudo o que pode nos ajudar a lidar melhor com os desafios. Há momentos, ainda, em que a gente se confunde sobre o local onde, de verdade, os desafios começam.

Que Deus ouça também as preces que lhe dirijo quando me parece que eu não acredito em mais nada. Quando sou incapaz de ver qualquer coisa além do foco onde coloco a minha dor. Quando não consigo articular meus pensamentos nem entrar em contato com alguma doçura que me faça lembrar das coisas que realmente nos movem. Quando não lhe dirijo nenhuma prece. Nem com palavras. Nem com um sorriso enternecido quando dou de cara com uma flor. Com um pôr-de-sol. Com uma criança. Com uma lua cheia. Com o cheiro do mar. Com o riso bom de um amigo. Que ele me ouça com o seu ouvido amoroso e me acolha no seu coração, porque é exatamente nesses momentos que eu não consigo ouvi-lo em mim.

Fonte:http://anajacomo.blogspot.com/

19/10/2011

Empatia


Ana Jácomo

A generosidade com relação às dificuldades alheias começa também no contato mais vívido com a certeza da existência das nossas. Quem tem consciência das próprias limitações sabe o quanto às vezes é dificílimo dar um passo, o primeiro deles, fora do território de alguns sentimentos. Por mais que a alma nos peça incansavelmente. Por mais que, de vez em quando, ela pareça inventar pretextos só para nos impulsionar. Por mais que saiba, por histórico, que o primeiro passo ainda não é garantia de caminhada, mas já é avanço e esperança.

Quem vê a flor geralmente não imagina a paciência tecelã que é necessária para que a ideia da semente seja dita.

Empatia 2

              
O autor Leo Buscaglia foi certa vez convidado a ser jurado de um concurso numa escola, cujo tema era: "A criança que mais se preocupa com os outros".

O vencedor foi um menino cujo vizinho - um senhor de mais de oitenta anos - acabara de ficar viúvo.

Ao notar o velhinho em seu quintal, em lágrimas, o garoto pulou a cerca, sentou-se no seu colo e ali ficou por muito tempo.

Quando voltou para sua casa, a mãe lhe perguntou o que dissera ao pobre homem.

- Nada - disse o menino - Ele tinha perdido a sua mulher e isso deve ter doído muito. Eu fui apenas ajudá-lo a chorar.

Traição

Por Ana Jácomo

Liguei os pontos, encaixei as peças, entendi a trama. Foi uma mentirada tão grande, um engano tão inacreditável, um contexto tão absurdo, que custei a acreditar. Foi dessas traições de fazer confiança tremer de susto e doer de tristeza. Foi dessas circunstâncias pra lá de insalubres para a alma e o seu viço. Foi dessas armadilhas inimagináveis que, olhando direito, às vezes são armadas até com o nosso auxílio, distraídos que estávamos em territórios que nos pareciam megaseguros. Não, não foi a primeira vez e provavelmente não seria a última. Eu confiei, sim, e não me arrependo nem um centímetro, olhando daqui. Pra confiar é preciso viver com o coração. Eu vivo.

O menino e a flor


O estacionamento estava deserto quando me sentei para ler embaixo dos longos ramos de um velho carvalho, desiludido da vida, com boas razões para chorar, pois o mundo estava tentando me afundar.
E como se eu não tivesse razão suficiente para arruinar o dia, um garoto ofegante chegou, cansado de brincar. Ele parou na minha frente, cabeça pendente, e disse cheio de alegria:
- "Veja o que encontrei!"
Na sua mão uma flôr - que visão lamentável - pétalas caídas, pouca água ou luz. Querendo me ver livre do garoto com sua flôr, fingi pálido sorriso e me virei. Mas ao invés de recuar ele se sentou ao meu lado, levou a flôr ao nariz e declarou com estranha surpresa:
- "O cheiro é ótimo, e é bonita também... Por isso a peguei; hei-la, é sua."
A flôr à minha frente estava morta ou morrendo, nada de cores vibrantes como laranja, amarelo ou vermelho, mas eu sabia que tinha que pegá-la, ou ele jamais sairia de lá. Então me estendi para pegá-la e respondi:
- "Era o que eu precisava."
Mas, ao invés de colocá-la na minha mão, ele a segurou no ar sem qualquer razão. Nessa hora notei, pela primeira vez, que o garoto era cego, que não podia ver o que tinha nas mãos. Ouvi minha voz sumir, lágrimas despontaram ao sol enquanto lhe agradecia por escolher a melhor flôr daquele jardim.
- "De nada", ele sorriu, e então voltou a brincar sem perceber o impacto que teve em meu dia.
Sentei-me e me pus a pensar como ele conseguiu enxergar um homem auto-piedoso sob um velho carvalho. Como ele sabia do meu sofrimento auto-indulgente? Talvez no seu coração ele tenha sido abençoado com a verdadeira visão.
Através dos olhos de uma criança cega, finalmente entendi que o problema não era o mundo, e sim EU. E por todos os momentos em que eu mesmo fui cego, agradecido a Deus por ver a beleza da vida, e apreciei cada segundo que é só meu. Então levei aquela feia flôr ao meu nariz e senti a fragrância de uma bela rosa. Sorri enquanto via aquele garoto, com outra flôr em suas mãos, prestes a mudar a vida de um insuspeito senhor de idade.

Paulo Sérgio Belotti

16/10/2011

De hoje em diante


‎"De hoje em diante todos os dias ao acordar...

Direi, eu hoje vou ser feliz... Vou lembrar-me de agradecer ao sol, pelo calor e luminosidade.
Sentirei que estou respirando. Posso desfrutar de todos os recursos da natureza, gratuitamente... Não preciso comprar o canto dos pássaros, nem o murmúrio das ondas do mar.Lembrarei de sentir a beleza das árvores, e das flores.Vou sorrir mais sempre que puder.
Vou cultivar , mais amizades e neutralizar as inimizades.Não vou julgar os atos dos meus semelhantes, ou companheiros, vou aprimorar os meus. Lembrarei de ligar para alguém, para dizer, que estou com saudades. Vou ler uma poesia, vou ouvir uma canção, e dedicá-la a alguém que amo. Vou fazer alguma coisa, sem esperar nada em troca, apenas pelo prazer de ver alguém feliz.

Vou lembrar que existe alguém que me quer bem..Vou dedicar alguns minutos de silêncio, para os que já foram, que saibam que serão sempre uma doce lembrança...E a noite vou olhar para o céu, para estrelas,e o luar, agradecer á Deus...Porque hoje eu fui feliz"

Carlos Drummond de Andrade

Há quem diga...


"Há quem diga que todas as noites são de sonhos.
Más há também quem garanta que nem todas, só as de verão!
No fundo, isso não tem importância! 
O que interessa mesmo não é a noite em si, são os sonhos. 
Sonhos que o homem sonha sempre, em todos os lugares, 
em todas as épocas do ano, dormindo ou acordado"


William Shakespeare

O tijolo


Um jovem e bem sucedido executivo dirigia, em alta velocidade, sua nova Ferrari.
De repente um tijolo surgiu e espatifou-se na porta lateral do carro.
Freou bruscamente e deu ré até o lugar de onde teria vindo o tijolo.

Saltou do carro e pegou bruscamente uma criança, empurrando-a contra um veículo estacionado e gritou:

"- Por que isso? Quem é você? Que besteira você pensa que está fazendo? Este é um carro novo e caro. Aquele tijolo que você jogou vai me custar muito dinheiro! Por que você fez isto?”

"- Por favor, senhor me desculpe, eu não sabia mais o que fazer!” - implorou o pequeno menino - “Ninguém estava disposto a parar e me atender neste local!”

Lágrimas corriam do rosto do garoto, enquanto apontava na direção dos carros estacionados.

"-É meu irmão. Ele desceu sem freio e caiu de sua cadeira de rodas e não consigo levantá-lo.”

Soluçando, o menino perguntou ao executivo:
“-O senhor poderia me ajudar a recolocá-lo em sua cadeira de rodas? Ele está machucado e é muito pesado para mim.”

Movido internamente para muito além das palavras, o jovem motorista, engolindo um imenso nó, dirigiu-se ao jovenzinho, colocando-o em sua cadeira de rodas.
Tirou seu lenço, limpou as feridas e arranhões, verificando se tudo estava bem.

"-Obrigado! E que Deus possa abençoá-lo!”, agradeceu a criança.

O homem viu então o menino distanciar-se, empurrando o irmão em direção à casa...

Foi um longo caminho até a sua Ferrari...
Um longo e lento caminho de volta...

Ele nunca mais consertou a porta amassada.
Deixou-a assim para lembrar-se de não ir tão rápido pela vida, que alguém precisasse atirar um tijolo para obter a sua atenção...

Para Refletir:
"Deus sussurra em nossas almas e fala aos nossos corações. Algumas vezes, quando não temos tempo de ouvir, ELE tem de jogar um Tijolo em nós!"

À procura do autor